Como funciona o exame físico na telemedicina? Entenda aqui

teste
Allana Peixoto|
20/09/2021

O exame físico na telemedicina pode ser um desafio para muitos profissionais, porém, com as inovações nos recursos tecnológicos, está cada vez mais próximo apurar os parâmetros fisiológicos do paciente e oferecer um atendimento de excelência.

Por isso, primeiramente é fundamental avaliar as condições em que se implantará a telemedicina, como será viabilizado o exame físico no paciente e quais são os benefícios dessa integração.

Em seguida, é interessante acompanhar os indicadores de efetividade dessa implantação, ponderar e readequar as dificuldades encontradas e traçar planos terapêuticos exequíveis para os pacientes.

Quer saber mais sobre como funciona o exame físico na telemedicina? Então, continue a leitura e fique por dentro!

Qual é a importância da telemedicina?

Considerando a telemedicina como uma proposta de encurtamento das distâncias geográficas para ampliação da assistência clínica, entende-se que essa modalidade tem condições eficazes de se manter na preferência dos brasileiros.

Somando isso ao contexto da pandemia da COVID-19 e dos impactos que esse fenômeno epidemiológico causará na humanidade nos próximos anos, espera-se um grande crescimento e oportunidades de atuação para os profissionais clínicos.

Destaca-se também que, conforme apontado pelo Dr. Luciano Cunha, diretor de telemedicina e saúde digital da Maida.health, todas as especialidades médicas e não médicas podem atender via telemedicina. Tudo dependerá da experiência e conhecimento do profissional e da jornada em que o paciente se encontra, desde seu diagnóstico até o tratamento.

Como funciona o exame físico na telemedicina?

É importante esclarecer que o exame físico realizado na telemedicina é chamado de telepropedêutica, mas ainda é pouco conhecido pelos médicos, conforme observa o Dr. Luciano Cunha.

Para tanto, ele exemplifica duas formas de realizar a telepropedêutica. Veja abaixo.

Orientações de manobras para o paciente ou acompanhante

Nessa situação, os profissionais solicitam que esses indivíduos executem pequenos movimentos ou apurem alterações fisiopatológicas que auxiliarão no diagnóstico. Aferições simples de temperatura corporal e orientações médicas para o paciente tossir a fim de apurar a existência de secreção são algumas ações que servem de exemplo.

Utilização de equipamentos específicos com possibilidade de interação a distância

Nesse contexto, é plausível verificar os parâmetros vitais por meio de relógios inteligentes, que monitoram glicemia, frequência cardíaca e outros aspectos que podem ser compartilhados com os médicos por mensagens instantâneas. Estetoscópios bluetooth, câmeras especiais com otoscópios e dermatoscópios que auxiliam na apuração dos sinais e sintomas dos pacientes são outros dispositivos úteis.

Como a telepropedêutica pode ajudar o profissional a realizar um exame físico direcionado?

Com as ferramentas tecnológicas existentes, a telepropedêutica pode ajudar o médico a examinar o paciente utilizando uma metodologia adaptada à realidade da telepresença, conforme relata o Dr. Luciano Cunha.

Também é interessante observar que os recursos tecnológicos utilizados nesse contexto são mais sensíveis e específicos, proporcionando confiança na construção de um diagnóstico mais preciso e seguro ao paciente.

Consequentemente, a confiabilidade na telemedicina aumenta e atrai novos adeptos, que já vislumbraram as vantagens em relação ao menor custo, disponibilidade integral do profissional durante a consulta e eliminação do deslocamento físico até o consultório.

Quais são as especialidades de uma plataforma de telemedicina?

Conforme regulamentado pela Lei Federal 13.989, de 15 de abril de 2020, a telemedicina pode ser executada por diversas especialidades médicas, desde que a integração virtual com o paciente seja possível.

Além disso, na referida legislação, existem as condições provisórias para ampliação da telemedicina devido ao cenário epidemiológico decorrente da contaminação pela COVID-19, o que suscitou novas modalidades de atendimento virtual.

Nesse sentido, o Dr. Luciano Cunha orienta que a plataforma de telemedicina deve permitir aos pacientes e profissionais de saúde a interação no meio digital, dentro de um ambiente seguro e de rastreabilidade das ações, obedecendo também as regras de proteção de dados.

No entanto, para efeitos de efetividade e organização das consultas virtuais, é interessante que as plataformas otimizem anotações em prontuário eletrônico, para facilitar a telepropedêutica.

Quais são as soluções que uma plataforma deve oferecer?

As empresas que investirem nesse nicho, além da segurança e otimização das informações veiculadas, devem oferecer funcionalidades adequadas e compatíveis com os programas de telemedicina.

Um exemplo bem-sucedido de empresa que proporciona o atendimento por telemedicina é a Maida.health, que viabiliza para as empresas solicitantes os mais diversos programas de telemedicina e saúde digital, desde teleconsulta de urgência até telemonitoramento de doentes crônicos.

Devido ao leque de opções fornecidas aos potenciais clientes e à facilidade de utilização das ferramentas da plataforma, observa-se grande interesse dos profissionais de saúde nessa inovação.

Qual a diferença entre telemedicina, telessaúde e e-Saúde?

Para entender a complexidade dos serviços virtuais, as funcionalidades de cada um e como funciona o exame físico na telemedicina, é fundamental avaliar os principais conceitos e como eles serão aplicados no cotidiano do médico e do paciente.

Inicialmente, considera-se o e-Saúde, aplicativo desenvolvido pelo DATASUS que provê informações sobre a saúde do cidadão. Por meio do cartão nacional do SUS e dos serviços clínicos gratuitos oferecidos à população, esse aplicativo traz um diagnóstico sobre o acesso aos serviços, exames e demais dados de interesse ao gestor e profissional de saúde.

Com o e-Saúde também é possível integrar os dados dos pacientes com o histórico já compilado, trazendo funcionalidades como direcionar o indivíduo conforme sua localidade ao serviço mais próximo à demanda.

Já a telessaúde é um conjunto de atividades que tem como peça fundamental o uso de inovações tecnológicas, que abarcam desde os serviços de telemedicina até aqueles voltados para a teleducação.

Sendo assim, otimiza tanto o atendimento aos pacientes quanto a capacitação dos profissionais de saúde por meio de videoconferências, discussão de casos clínicos complexos de forma virtual, entre outras possibilidades.

Diante disso, a telemedicina é um dos ramos da telessaúde, avaliada por meio de teleconsulta, emissão de laudos online, telestroke, teletriagem, teleassistência e vigilância epidemiológica, pautados nos princípios da eficácia e eficiência dos serviços prestados.

Saber como funciona o exame físico na telemedicina é um passo importante para entender como viabilizá-lo para os pacientes da maneira mais adequada. Diante disso, é possível compreender as diversas funcionalidades da telemedicina, que será amplamente viabilizada nas plataformas que propiciam o atendimento efetivo, seguro e conveniente para os profissionais de saúde e o paciente, além de demonstrar nítida redução de custos operacionais.

E você, ficou interessado em plataformas que otimizam a telemedicina? Então, entre em contato conosco que daremos mais detalhes!

teste